7 de julho de 2012

A Teoria do Desenvolvimento- Por Henri Wallon



A teoria do desenvolvimento humano de henri wallon — Presentation Transcript


1. A teoria do desenvolvimento humano de Henri Wallon e sua interface com a educação Tatiana Azevedo de Souza da Cunha Lima


2. Um pouco da história da Psicologia Na Grécia, surge a primeira tentativa de sistematizar uma Psicologia. Império Romano  psicologia estava relacionada ao conhecimento religioso. O Renascimento é marcado por transformações em todos os setores (artes, literatura, economia, física). A psicologia também se transforma. No Século XIX destaca-se o papel da ciência, o conhecimento tornou-se independente da fé.


3. O Positivismo propunha método da ciência natural como modelo de construção de conhecimento. Para se conhecer o psiquismo humano era necessário compreender os mecanismos e o funcionamento do cérebro.
 (Fisiologia e Neurofisiologia) Alemanha: berço da Psicologia Moderna (final do século XIX). Porém é nos EUA que ela encontra campo para seu rápido crescimento. Surgem as primeiras escolas em Psicologia: Funcionalismo (James), Estruturalismo (Titchner) e Associacionismo (Thorndike). Século XX surgem novas escolas: Behavorismo, Gestalt, Psicanálise e atualmente a Psicologia Histórico-Cultural.


4. Psicologia e Educação no Brasil A psicologia no Brasil desenvolveu-se estreitamente ligada à educação. 1920: difusão do escolanovismo e , junto com ele, as teorias e técnicas da Psicologia. 1930/1960: maior especialização da psicologia: publicações, cursos. Parecer Mec 292/1962: inserção da psicologia no currículo dos cursos de formação de professor. 1970/1980: críticas à educação e à psicologia.


5. A teoria do desenvolvimento humano de Henri Wallon e sua interface com a educação Nasceu na França em 1879. Viveu toda sua vida em Paris, onde morreu em 1962, aos 83 anos. Viveu num período marcado por instabilidade social e turbulência política: duas guerras mundiais, avanço do fascismo, revoluções socialistas e as guerras para libertação das colônias na África. Graduou-se em Filosofia (1902) e Medicina (1908). Atuou, até 1931, como médico psiquiatra, dedicando-se ao atendimento de crianças com deficiências neurológicas e distúrbios de comportamento. Interessado pela psicologia da criança.


6. 1937 a 1962 – presidiu a Sociedade Francesa de Pedagogia. 1946 a 1962 – presidiu o “Grupo Francês de Educação Nova”, ligado ao Movimento da Escola Nova. Projeto Langevim-Wallon – projeto de reforma do ensino francês, após a 2ª. Guerra: construção de uma educação mais justa para uma sociedade mais justa. Participou do movimento da Educação Nova. Defendia a preocupação escolanovista em adequar o ensino ao desenvolvimento da criança. Críticas ao ensino tradicional. Seu pensamento tem raízes no materialismo histórico dialético. (indivíduo e meio se modificam reciprocamente)


7. Tentativa de ver a criança de um modo mais integrado, levando em consideração os domínios cognitivo, afetivo e motor. Não dissociar campos que são indissociáveis (afetividade e inteligência). Estudo do desenvolvimento humano a partir do desenvolvimento psíquico da criança. Desenvolvimento da criança aparece descontínuo, marcado por contradições e conflitos, retrocessos e reviravoltas. A passagem dos estágios de desenvolvimento não se dá linearmente.


8. Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 1) Impulsivo-emocional ocorre no primeiro ano de vida expressões/reações generalizadas e indiferenciadas de bem estar/mal estar. predominância da afetividade orienta as primeiras reações do bebê às pessoas. as emoções são o primeiro recurso de interação do bebê com o meio social. Emoções são extremamente contagiosas entre os indivíduos.


9. Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 2) Sensório-motor e projetivo inicia-se por volta de um ano e se estende até os três anos de idade. caracteriza-se pela investigação e exploração da realidade exterior. o andar e a linguagem darão oportunidade à criança de ingressar em um novo mundo, o dos símbolos. Linguagem estrutura o pensamento. Importância de se afinar o olhar para o movimento.


10. Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 3 ) Personalismo Por volta dos três aos seis anos. Enriquecimento do eu e a construção da personalidade. Oposição ao outro  busca de afirmação de si. Sedução  a criança tem necessidade de ser admirada, para se admirar também. Imitação  personagens são criados a partir das pessoas que a criança admira. Inteligência se apóia fortemente na atividade motora. Sincretismo  não separa a qualidade da coisa em si.


11. Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 4) Pensamento Categorial Entre os 6 e 11 anos. Marca a diferenciação entre o eu e o mundo exterior, em que a criança aprende a perceber o que é de si e o que é do outro. Pensar a realidade a partir de categorias. Emergência de uma capacidade nova para a criança: a atenção. É fundamental a interação do indivíduo com a cultura.


12. Estágios ou Estádios do Desenvolvimento da Criança 5) Puberdade e Adolescência A crise pubertária rompe a “tranquilidade” afetiva que caracterizou o estágio categorial e impõe a necessidade de uma nova definição dos contornos da personalidade, desestruturados devido às modificações corporais resultantes da ação hormonal. Oposição sistemática ao adulto. Busca diferenciar-se do adulto.


13. Wallon e a Educação Estado de indiferenciação  início do desenvolvimento. À medida que a afetividade se desenvolve, interfere na inteligência e vice-versa. Afetividade e inteligência são interdependentes. Invenções e criações  momentos de sincretismo  surgem novas categorias. Currículo escolar  valorizar ciências e igualmente a arte. O professor sente-se incomodado com a oposição.


14. A criança não é resultado linear do meio em que vive. Vive em vários meios: familiar/escolar. Meios não concretos: valores (família/escola/comunidade). Essa diversificação é importante para o enriquecimento das crianças. Escola oferece lugares diferentes para a criança ocupar. Escola é um lugar onde se educa, mas, principalmente, onde se deve estudar a personalidade da criança. Organização do espaço e do tempo.


15. Educação não deve excluir as crianças com dificuldades escolares ou com comportamentos inadequados. Ressalta a importância da atenção e do interesse das crianças nas atividades escolares. O professor precisa ter conhecimento dos problemas sociais de sua época. Incentivar a coletividade e a cooperação. Relação mantida em sala deve ser cultivada com sentimentos positivos. O professor deve criar um clima de igualdade de expressão e evitar tratamentos desiguais.


16. A perspectiva teórica de Wallon traz ainda uma preocupação bastante atual: como construir uma educação para todos, independente de sua condição social, origem ou raça, e, ao mesmo tempo, uma educação para cada um, que contemple a complexidade do indivíduo em todas as suas dimensões.



0 comentários :

Marcadores

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Meus Visitantes

Atalho do Facebook

Google+ Followers